Você está aqui Mundo Americas  

Radio Ecclesia

Confrontos na fronteira entre a Venezuela e a Colômbia

Sábado, 23 Fevereiro 2019  vanda de carvalho

Após o fechamento da fronteira entre Venezuela e Colômbia, houve confusão em pelo menos dois pontos da divisa. Na Ponte Simón Bolívar, um grupo de venezuelanos removeu as barreiras colocadas pelo regime de Nicolás Maduro e as atirou no Rio Táchira. Em seguida, as forças de segurança dispersaram cerca de 200 pessoas que tentavam entrar na Colômbia com gás lacrimogêneo.

Jovens ainda desafiaram os membros da Guarda Nacional cantando o hino venezuelano. Já em Ureña, cidade situada no estado de Táchira, manifestantes tentaram se aproximar da ponte que leva até Cúcuta, na Colômbia, e montaram uma barricada para interromper o avanço das forças de ordem.

Os policiais responderam com balas de borracha e gás lacrimogêneo e conseguiram dispersar o ato. Segundo Juan Guaidó, "diversos membros" da Guarda Nacional em serviço na ponte Simón Bolívar desertaram para se unir à oposição.

Por sua vez, a emissora chavista Telesur afirmou que trata-se de "terroristas infiltrados que sequestraram blindados e tentaram atropelar pessoas na ponte". "É uma operação dirigida por opositores do lado colombiano da fronteira", disse o canal.