Você está aqui Mundo Europa  

Solidariedade dos benfeitores da Fundação AIS volta a superar expectativas

Quinta, 29 Junho 2017  vanda de carvalho

É um novo máximo. No ano passado, a generosidade dos benfeitores da Fundação AIS traduziu-se em mais de 128 milhões de euros, a nível internacional, permitindo apoiar directamente mais de 5.300 projectos.

Uma ajuda que se tem vindo a revelar absolutamente crucial em algumas zonas do globo onde os Cristãos têm estado a ser particularmente atingidos por guerras, violência e terrorismo. Quase 50% da ajuda que chega aos Cristãos no Iraque, por exemplo, é fornecida através da Fundação AIS (Ajuda à Igreja que Sofre).

Mas não é só no Médio Oriente que se reflecte esta generosidade sem paralelo. Também África tem estado no centro das prioridades da Fundação AIS – estando em curso, aliás, uma Campanha de Solidariedade, a nível internacional, desde a Quaresma, para com a Igreja neste continente. Foi para os países africanos que se destinou 27,5% do total da ajuda enviada pela Fundação AIS.

Um pouco por todo o mundo há a presença da ajuda amiga da Fundação AIS. Uma ajuda que, em muitos casos, tem-se revelado imprescindível para a sobrevivência do próprio clero e das comunidades religiosas.

O aumento da contribuição generosa dos benfeitores e amigos da Fundação AIS também se verificou em Portugal, com o secretariado nacional a conseguir recolher mais de 3 milhões de euros, o que se traduz, também, num máximo histórico.

Mais verbas recolhidas, mais projectos apoiados. Esta é uma cadeia de solidariedade que cresce de ano para ano, mas que continua a ser insuficiente para dar resposta a todos os apelos que chegam dos quatro cantos do mundo. Se em 2016 foram apoiados 5.303 projectos, a verdade é que também tiveram de ser recusados 2.109 outros projectos por falta de verbas disponíveis.

Médio Oriente, África, Europa Central e de Leste e Ásia, são as regiões do mundo onde mais se espelha a generosidade dos Benfeitores da AIS, num total de 148 países. Uma generosidade que tem permitido ajudar a sobrevivência a mais de 43 mil sacerdotes em África e na Ásia, assim como quase 11 mil seminaristas em todo o mundo.

Um número que ganha uma dimensão impressionante ao perceber-se que 1 em cada 11 seminaristas no mundo é apoiado directamente através da Fundação AIS. Também 11 mil religiosas recebem ajuda da Fundação AIS.

O ano passado ficou também marcado pela Campanha da Misericórdia, promovida a nível internacional pela Fundação AIS a pedido expresso do Papa Francisco. Uma campanha que se materializou, desde então, em projectos concretos em países tão distantes como, por exemplo, o Líbano, a Colômbia, a República Centro-Africana e a Índia.

Ao todo, no ano de 2016, através da Fundação AIS foram apoiados 1.222 projectos de construção e foram entregues 765 meios de transportes a sacerdotes e religiosas, especialmente em África e na Ásia.

Construção ou reconstrução de seminários, capelas, igrejas e catedrais, destruídos por causa da guerra ou de actos terroristas, mas também em regiões assoladas por calamidades naturais, continua a ser uma das prioridades da ajuda disponibilizada pela Fundação AIS, assim como o apoio diário na subsistência a milhares de cristãos forçados a abandonar as suas casas e todos os seus haveres por causa do terrorismo e do radicalismo religioso.

Fundada em 1947 pelo Padre Werenfried van Straaten, que se inspirou na mensagem de Fátima, a Fundação AIS é uma organização dependente da Santa Sé que tem como objectivo apoiar projectos de cunho pastoral em países onde a Igreja Católica passa por maiores dificuldades.