Você está aqui Mundo Europa  

Em mais de 50 anos Nobel da Física premeia este ano uma mulher

Terça, 02 Outubro 2018  vanda de carvalho

O Prémio Nobel da Física de 2018 vai para três investigadores sobre os seus trabalhos na física dos lasers – anunciou esta terça-feira a Real Academia Sueca das Ciências em Estocolmo. Metade do prémio, no valor monetário de nove milhões de coroas suecas, ou 871 mil euros vai para o norte-americano Arthur Ashkin e a outra metade para o francês Gérard Mourou e a canadiana Donna Strickland. No anúncio, o comité resumiu que o prémio vai para "as ferramentas feitas de luz". 

Até agora, em toda a história dos Prémios Nobel, criados em 1901, apenas duas mulheres tinham recebido o Nobel da Física: Marie Curie em 1903 (também distinguida com o Nobel da Química em 1911) e Maria Goeppert-Mayer em 1963. Portanto, há 55 anos que uma mulher não faz parte dos laureados desta prestigiada distinção.

No ano passado, o Nobel da Física foi atribuído a um trio de investigadores nos Estados Unidos (Rainer Weiss, do Instituto de Tecnologia do Massachusetts, Barry Barish e Kip Thorne, ambos do Instituto de Tecnologia da Califórnia) pelo extraordinário feito de detecção das ondas gravitacionais existência tinha sido prevista há mais de cem anos por Albert Einstein, mas só em 2015 foram detectadas pela primeira vez.