Você está aqui Mundo Europa  

Três filhos do homem mais rico da Dinamarca morreram no Sri Lanka

Terça, 23 Abril 2019  vanda de carvalho

O bilionário dinamarquês Anders Holch Povlsen perdeu três dos quatro filhos nos atentados que abalaram o Sri Lanka e causaram a morte a pelo menos 290 pessoas, incluindo um português.

Um porta-voz de Anders Holch Povlsen, de 46 anos, confirmou a morte de três filhos do bilionário dinamarquês, no atentado terrorista de domingo de Páscoa, no Sri Lanka. Povlsen é dono da marca de roupa "Bestseller" e maior accionista da loja britânica online de roupas e artigos de beleza Asos.

"Infelizmente, temos de confirmar" a morte de três dos filhos de Povlsen. "Pedimos que respeitem a privacidade e, assim, não haverá mais comentários", disse o chefe de comunicações da Bestseller, Jesper Stubkier, em declarações ao jornal dinamarquês Berlingske.

Segundo aquele diário dinamarquês, não é claro em qual das oito das explosões morreram as crianças. De acordo com o tabloide britânico "The Mirror", Povlsen tem quatro filhos, um rapaz, Alfred, e três raparigas, Astrid, Agnes e Alma. Esta última havia publicado uma foto no Instagram, dois dias antes do atentado, com a legenda "os meus três ursinhos", referindo-se aos irmãos.

Anders Povlsen, com uma fortuna avaliada em cerca de cinco mil milhões de euros, é o segundo maior proprietário individual de terrenos no Reino Unido e o primeiro na Escócia, onde investiu cerca de 120 milhões de euros em 12 propriedades.

Ao todo, no Reino Unido, Povlsen tem cerca de 81 mil hectares de terrenos, o equivalente a 800 quilómetros quadrados de terreno, oito vezes mais a área de Lisboa (100 km2) e 20 vezes mais a do Porto (40 km2).

Anders Holch Povlsen, de 46 anos, herdou o grupo Bestseller, criado em 1975 pelos seus pais, Merete e Troels Holch Povlsen. O grupo, que diz ter quase três mil pontos de venda em 70 países, tem marcas como Vero Moda, Only e Jack & Jones.

Povlsen herdou a fortuna dos pais, aos 28 anos, e tem conseguido fazer crescer o império. Apaixonou-se pela Escócia durante uma visita com a família, em 1986, e nos últimos 13 anos começou a adquirir propriedades naquele país.

Tem investido no regresso de muitas das propriedades que comprou ao estado selvagem e já havia dito que queria passar os terrenos, e a filosofia de devolver à natureza o que o homem dominou durante anos, aos filhos, três dos quais morreram no atentado no Sri Lanka.

E o Presidente da República, João Lourenço, endereçou ao homólogo do Sri Lanka, Maithripala Sirisena, uma mensagem de condolências, a propósito dos atentados ocorridos domingo (21), na capital daquele país, Colombo.