Você está aqui Mundo Americas  

Russos deixam espaços alegadamente usados para espionagem e Donald Trump elogia Putin

Sábado, 31 Dezembro 2016  vanda de carvalho

Os russos deixaram, sexta-feira, o seu retiro rural em Upper Brookville, Nova Iorque, depois da administração Obama considerar que este espaço e outro em Maryland foram usados para espionagem.

A expulsão de 35 diplomatas russos faz parte das sanções impostas pelo Presidente norte-americano, Barack Obama.

O cônsul-geral do consulado russo em São Francisco, Sergey Petrov, criticou a expulsão de diplomatas russos dos EUA: “consideramos estas sanções completamente infundadas, irracionais e muito prejudiciais para as relações bilaterais entre dois países vizinhos, entre os Estados Unidos da América e a Federação Russa … No total (em São Francisco) são 11 pessoas, incluindo 3 crianças. Eles têm de fazer as malas e partir em poucas horas.”

O Presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, via twitter, considerou “muito inteligente” pelo chefe de Estado russo, Vladimir Putin, não ter reagido imediatamente às sanções, decididas por Barack Obama, por alegados ataques informáticos destinados a prejudicar a candidata democrata, Hillary Clinton, nas eleições presidenciais norte-americanas.