Você está aqui Mundo Americas  

Ban Ki-moon despede-se da ONU

S√°bado, 31 Dezembro 2016  vanda de carvalho

O ainda secret√°rio-geral das Na√ß√Ķes Unidas, Ban Ki-moon, despediu-se na sexta-feira √† noite dos funcion√°rios da organiza√ß√£o e dos elementos das representa√ß√Ķes dos pa√≠ses membros.

Ban Ki-moon agradeceu o empenho de todos e mostrou boa disposi√ß√£o ao referir-se ao √ļltimo acto p√ļblico que vai desempenhar, enquanto secret√°rio-geral da ONU.

‚ÄúNa v√©spera de Ano Novo, vou estar em Times Square [Nova Iorque] a assistir √† descida da bola que marca a entrada no novo ano. Milh√Ķes de pessoas v√£o assistir √† passagem para 2017 √† medida que perco o meu emprego. N√£o h√° muito que possa dizer‚ÄĚ, gracejou.

Depois, os agradecimentos. ‚ÄúS√≥ tenho duas palavras: obrigado. Obrigado. Pelo vosso trabalho √°rduo, pelo vosso empenho, pela vossa lideran√ßa pela humanidade. T√™m trabalhado dia-a-dia e eu agrade√ßo-vos. Isso motivou-me: saber que est√£o muito empenhados. Isso deu-me a motiva√ß√£o para trabalhar cada vez mais‚ÄĚ.

O sul-coreano Ban Ki-moon foi secretário-geral da ONU durante 10 anos e passa o testemunho ao português António Guterres a 1 de Janeiro.

Guterres jurou a Carta das Na√ß√Ķes Unidas a 12 de Dezembro e defendeu, durante a sua candidatura, uma reforma da ONU ‚Äď organiza√ß√£o que, no seu entender, perdeu a capacidade de prevenir conflitos.

O portugu√™s quer encarnar o papel de "negociador honesto" que as Na√ß√Ķes Unidas devem representar e promete, quando come√ßar a exercer fun√ß√Ķes em pleno, ser guiado pela "dignidade humana".