Você está aqui Mundo Americas  

Donald Trump demite director do FBI

Quarta, 10 Maio 2017  vanda de carvalho

O porta-voz da Casa Branca não apresentou explicações para a decisão. Sean Spicer indicou apenas que " o presidente aceitou a recomendação do Procurador-geral" , não explicando o que está por detrás do despedimento.  

Na carta enviada a James Comey, o presidente dos EUA, explica que a sua saída tem efeito imediato considerando que este não é " capaz de liderar com eficácia o Bureau".

Em comunicado, Donald Trump sublinha que o "FBI é uma das mais queridas instituições da nossa nação". "Hoje marca um novo começo para a joia da coroa para a aplicação da lei", garante o lider dos Estados Unidos.

James Comey tinha sido nomeado por Barack Obama em 2013 para um mandato de 10 anos a frente do Federal Bureau Investigation, o seu mandato terminaria apenas em 2013.

 

O Presidente dos Estados Unidos demitiu o director do FBI, James Comey. A Casa Branca justifica a decisão com a necessidade de encontrar uma “liderança para o FBI que restaure a confiança” na instituição. O FBI é actualmente responsável pela investigação às eventuais ligações entre a campanha de Donald Trump e a Rússia.

O porta-voz da Casa Branca não apresentou explicações para a decisão. Sean Spicer indicou apenas que “o Presidente aceitou a recomendação do procurador-geral”, não explicando o que está por detrás do despedimento.

 

Na carta enviada a James Comey, o Presidente dos Estados Unidos explica que a sua saída tem efeito imediato, considerando que este não é “capaz de liderar com eficácia o Bureau”.


Em comunicado, Donald Trump sublinha que o “FBI é uma das mais queridas e respeitadas instituições da nossa nação”. “Hoje marca um novo começo para a jóia da coroa para a aplicação da lei”, garante o líder dos Estados Unidos.

 

James Comey tinha sido nomeado por Barack Obama em 2013 para um mandato de dez anos à frente do Federal Bureau of Investigation. O seu mandato terminaria apenas em 2023.

Por detrás da demissão estará a gestão feita pelo director do polícia federal norte-americana do caso dos e-mails que envolveu Hillary Clinton e que acabou por marcar a campanha presidencial de 2016.

 

Em Outubro de 2016 – a escassas semanas da votação – James Comey anunciou a reabertura da investigação a Hillary Clinton. Uma ação que a campanha de Hillary Clinton acredita ter favorecido Donald Trump.

 

A notícia do afastamento do director do FBI surge depois de a agência AP ter noticiado que o FBI tinha enviado uma carta ao Congresso a corrigir o registo das declarações feitas no testemunho de Comey sobre Huma Abedin, uma colaboradora de Hillary Clinton.

Na carta enviada esta terça-feira, o FBI diz que Comey expressou-se mal quando disse que Abedin tinha reencaminhado "centenas de milhares" de e-mails do portátil do marido, o antigo congressista Anthony Weiner.

O FBI disse que apenas um pequeno número de emails encontrados no portátil tinha sido reencaminhado e muitas das situações se prendiam com o "backup" de outros dispositivos electrónicos.

Mas James Comey era também alvo de críticas dos apoiantes de Donald Trump. A saída de James Comey ocorre no momento em que o FBI investiga as eventuais ligações entre a campanha de Donald Trump e a 
Rússia de Vladimir Putin.