Você está aqui Mundo Americas  

Mundo Recorda Martin Luther King

Quarta, 04 Abril 2018  vanda de carvalho

O portal de not√≠cias do Vaticano recordou o 50.¬ļ anivers√°rio do assassinato de Martin Luther King, morto a 4 de Abril de 1968, sublinhando a ‚Äúgrande sintonia‚ÄĚ da sua figura com o Papa Francisco.

Luther King, pastor protestante, foi o Prémio Nobel da Paz de 1964; quatro anos mais tarde, foi assassinado em Memphis, no Estado de Tennessee (EUA), ao promover uma campanha em defesa dos trabalhadores negros.

A morte do ‚Äúindefeso e crist√£o profeta da integra√ß√£o racial‚ÄĚ foi condenada logo no dia 7 de Abril de 1968 por Paulo VI, falando antes de rezar o √Ęngelus na Pra√ßa S√£o Pedro.

O actual Papa, Francisco, falou de Martin Luther King no seu discurso ao Congresso dos EUA, em Setembro de 2015.

O pont√≠fice apelou ent√£o a ‚Äúuma cultura que permita √†s pessoas ¬ęsonhar¬Ľ com plenos direitos para todos os seus irm√£os e irm√£s, como procurou fazer Martin Luther King‚ÄĚ.

J√° na sua mensagem para o Dia Mundial da Paz de 2017, o Papa recordou o papel de Luther King ‚Äúcontra a discrimina√ß√£o racial‚ÄĚ.

 Tudo isso representa dois princ√≠pios t√≠picos da inspira√ß√£o crist√£: a n√£o-viol√™ncia e a fraternidade universal‚ÄĚ, precisou o respons√°vel.

A 12 de Março, a filha de Luther King, Bernice Albertine King, foi recebida em audiência pelo Papa Francisco.