Você está aqui Mundo Americas  

Trump ameaça Rússia com anúncio de mísseis

Quinta, 12 Abril 2018  vanda de carvalho

O presidente norte-americano, Donald Trump, ameaçou esta quarta-feira pelo seu Twitter a Rússia, dizendo que estarão mísseis a caminho da Síria.

Caracteriza-os como "bons, novos e inteligentes". Donald Trump deixou no seu Twitter uma mensagem a avisar a Rússia que estão mísseis a caminho, como que em resposta ao alegado ataque químico da semana passada em Douma, na Síria, que causou dezenas de mortos.

"A Rússia prometeu destruir todos e quaisquer mísseis disparados contra a Síria. Prepara-te Rússia, porque eles vão começar a chegar, bons, novos e inteligentes!", escreveu Trump na rede social depois de o embaixador russo no Líbano, Alexander Zasipkin, ter dito que quaisquer mísseis lançados por Washington contra a Síria serão abatidos pelas forças de Moscovo e que as plataformas de lançamento passarão a ser um alvo.

"Não deviam ser parceiros de um animal que mata com gás o seu povo e que gosta!", acrescentou o presidente dos Estados Unidos na mesma mensagem.

A oposição síria e vários países acusaram o regime de Bashar al-Assad da autoria do ataque, mas Damasco negou e o seu principal aliado, a Rússia, afirmou que peritos russos que se deslocaram ao local não encontraram "nenhum vestígio" de substâncias químicas.

Moscovo disse, inclusive, que não irá tolerar um ataque contra a Síria, garantindo que qualquer míssil disparado contra o regime de Assad será interceptado. Trump, por sua vez, tinha prometido, na segunda-feira, "responder abruptamente" ao alegado ataque contra a cidade rebelde de Douma, realizado com armas químicas, segundo organizações não-governamentais no terreno, que matou mais de 40 pessoas, no sábado.

A Eurocontrol, organização europeia para a segurança aérea, tinha emitido, na terça-feira, uma "advertência rápida" às companhias aéreas do leste do Mediterrâneo contra possíveis ataques aéreos contra a Síria com mísseis nas próximas 72 horas.

"Devido ao possível lançamento de ataques aéreos na Síria com mísseis ar-terra e/ou de cruzeiro, nas próximas 72 horas, e a possibilidade de interrupção intermitente de equipamentos de radionavegação, este aviso deve ser levado em conta ao planear operações de voo na área do Mediterrâneo Oriental-Nicósia", divulgou a organização europeia, no seu site.

Na terça-feira à noite, o Conselho de Segurança da ONU rejeitou um projecto de resolução da Rússia para criar um novo mecanismo de investigação sobre o uso de armas químicas na Síria.

A Síria, que entrou no oitavo ano de guerra, vive um drama humanitário perante um conflito que já fez pelo menos 511 mil mortos, incluindo 350 mil civis, e milhões de deslocados e refugiados.