Você está aqui Mundo Africa  

CEDEAO faz ultimato a Yahya Jammeh

Sexta, 20 Janeiro 2017  vanda de carvalho

Yahya Jammeh tem até às 12 horas desta sexta-feira (20.01) para deixar a Presidência da Gâmbia e sair do país, anunciou a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO).

Na quinta-feira, tropas da coligação militar regional entraram no país para expulsar Jammeh, derrotado nas eleições de 1 de dezembro. Mas a operação foi suspensa horas depois, para dar lugar a uma última mediação liderada pelo Presidente da Guiné-Conacri, Alpha Condé, em Banjul.

"Se até ao meio-dia, [Jammeh] não aceitar sair do país sob a proteção do Presidente Condé, então as tropas vão passar à intervenção militar propriamente dita", afirmou o guineense Marcel Alain de Souza, "Não vou envolver as minhas tropas numa guerra estúpida"

Na capital gambiana, milhares de pessoas saíram às ruas para celebrar a tomada de posse do Presidente Adama Barrow em Dacar, no Senegal, e a entrada no país da coligação regional militar. Alguns soldados uniram-se aos opositores a Jammeh, incluindo o chefe de Estado-Maior das Forças Armadas, o general Ousman Bargie, que anunciou, na quarta-feira, a sua decisão de se submeter à autoridade do novo Presidente Adama Barrow.

"Não vou envolver as minhas tropas numa guerra estúpida", afirmou Bargie. Por isso, as tropas regionais não encontraram nenhuma resistência enquanto marchavam até à capital para restabelecer a ordem constitucional.

O enviado da DW à Gâmbia, Adrian Kriesch, diz, no entanto, que, de um modo geral, o ambiente em Banjul está calmo e as ruas ficaram desertas rapidamente.