O Governo do Zimbabwe quer o levantamento das sanções impostas ao país

Sábado, 17 Abril 2010  Hugo Ramon Castro
NOT63_01O Governo do Zimbabwe vai enviar, a 21 de Abril, uma delegação a sede da União Europeia, para discutir o levantamento das sanções impostas ao país, anunciou hoje (16), em Luanda, o embaixador zimbabweano acreditado em Angola, James Manzou.

O diplomata falava à imprensa no quadro dos 30 anos de Independência do seu país, a ser assinalado a 18 de Abril. "A 21 de Abril de 2010, o Governo vai enviar uma delegação à Bruxelas, composta por representantes dos principais partidos que partilham o poder, para reclamar junto dos governos ocidentais o fim das sanções", disse.

A União Europeia estendeu o período de sanções contra o Zimbabwe, por mais 12 meses, alegando fraco progresso na implementação do acordo de partilha do poder.

Para o embaixador, o Governo de Unidade Nacional implementa o que está consagrado no Acordo Político Global, incluindo as reformas políticas para próximas eleições.

Sustentou que se criou uma comissão eleitoral, outra para os direitos humanos e um comité para comunicação social, passos que considerou positivos para a clarificação das próximas eleições.

Outro passo dado, referiu o diplomata, é a criação de um comité parlamentar encarregue de preparar as condições para a elaboração da nova Constituição da República.

Esses passos resultam da implementação do Acordo Político Global assinado em Fevereiro de 2009, entre o presidente Robert Mugabe e o primeiro-ministro, Morgan Tsvangirai, líder da oposição.

A União Europeia iniciou a imposição de sanções contra o Zimbabwe em 2004, incluindo o embargo de armas e restrições de viagens. Mais de 200 indivíduos e 40 companhias que têm relações com o governo do presidente Mugabe estão afectados.