Você está aqui Angola Politica  

General João de Matos vai a enterrar

Terça, 07 Novembro 2017  vanda de carvalho

Já estão em Luanda os restos mortais do general João de Matos, falecido neste Sábado 4 de Novembro no Reino de Espanha.

A  urna contendo o corpo do general João de Matos está a ser velada no quartel-general, onde já for realizada a missa do corpo presente, as 8h.

O presidente da república, João Lourenço, acompanhado de sua esposa Ana dias Lourenço, já prestaram a última homenagem ao então general do exército João Baptista de Matos.

Neste momento prestam homenagem os órgãos de soberania nacional,  deputados da Assembleia Nacional, membros do Executivo e oficiais das Forças Armadas Angolanas (FAA) e da Polícia Nacional, antigos combatentes e veteranos da pátria, amigos e população em geral e familiares.

O velório termina por volta das 11h30, para que, dez minutos depois, parta o cortejo fúnebre para o Cemitério do Alto das Cruzes. Já no “campo santo”, é lida a mensagem de um membro da família e o elogio fúnebre.

 Biografia:

O general João Baptista de Matos, nasceu na província do Uíge, a 30 de Maio de 1955.

Ingressou nas extintas FAPLA em 1974, e formou-se, de 1983 a 1987, em ciências militares, na Academia Militar de Frunze, antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

Durante a carreira militar, exerceu várias funções, entre as quais  comandante de companhia, batalhão, sector de forças especiais, director regional de inteligência militar e de comandante geral.

Foi Chefe do Estado Maior General das Forças Armadas Angolanas, de 1992 a 2001.

A sua liderança foi fundamental para ganhar a batalha contra as então Forças Militares da Unita, após o retomar da guerra em 1992,  na sequencia das primeiras eleições multipartidárias (1991).

Reorganizou o Exército e a mudança de estratégia, enfatizando a sustentabilidade dos ataques, em vez de ferocidade.

Foi fundador e presidente da Fundação Kissama em 2001, organização não lucrativa que tinha por objectivo a reabilitação, conservação e desenvolvimento da fauna e flora de Angola.

O seu primeiro projecto foi lançado em 2010, com o programa Arca de Noé, que teve por objectivo repovoar o Parque Nacional da Quiçama com vida animal trazida da África do Sul.

Ambientalista activo, envolveu-se em programas de protecção de conservação da vida selvagem, como o projecto de protecção da tartaruga gigante.

Recebeu várias condecorações, medalhas e louvores, tanto a nível nacional, quanto internacional, ao longo da sua carreira militar.