Você está aqui Angola Politica  

Presidente incentiva utilização das redes sociais e alerta para o perigo do mau uso por parte dos jovens

Terça, 19 Junho 2018  vanda de carvalho

O Executivo aposta fortemente na criação de condições que permitam aos angolanos dispor dos serviços básicos de telecomunicações, afectados durante muito tempo por razões objectivas e conjunturais de diversa ordem, disse nesta terça-feira, em Luanda, o Presidente da República.

João Lourenço discursava na cerimónia de abertura do fórum sobre tecnologias de informação (ANGOTIC), realizado pelo Ministério angolano das Ciências e Tecnologias, durante três dias, com o objectivo de promover estes meios.

Segundo o Presidente da República, as tecnologias de comunicação e informação constituem, de facto, um instrumento fundamental para a modernização e desenvolvimento da capacidade produtivo, governativa e da vida social das populações e disse constituir preocupação do seu executivo assegurar a existência de um ambiente legislativo que salvaguarda a correcta observância dos requisitos de segurança dos dados de entidades públicas e privadas.

João Lourenço disse que o seu executivo promove e incentiva a utilização das redes sociais, e alerta para o mau uso sobretudo por dos jovens.

O presidente da república voltou a frisar a possibilidade da entrada de uma nova operadora de telefonia móvel no mercado nacional nos próximos tempos.

Na sua intervenção, o Chefe de Estado angolano disse ainda que a política de telecomunicações visa, essencialmente, a criação das bases para uma nova estrutura de mercados, por formas a explorar as potencialidades das tecnologias de informação e comunicação (Tic's), nas suas várias dimensões económica, social, cultural e ambiental.

Segundo o Presidente da República, as tecnologias de comunicação e informação constituem, de facto, um instrumento fundamental para a modernização e desenvolvimento da capacidade produtivo, governativa e da vida social das populações.

“No mundo globalizado em que vivemos, é hoje praticamente impossível perspectivar o futuro de qualquer empresa, instituição ou mesmo de um país, sem a existência de uma rede de telecomunicações abrangente, moderna e eficiente”, precisou o estadista angolano.

João Lourenço referiu que se pretende encarar e vencer o desafio de transformar às telecomunicações em Angola, num elemento catalisador de desenvolvimento económico, em geral.

No quadro do evento, o Chefe de Estado angolano visita uma feira tecnológica, que agrega trinta expositores, entre nacionais e estrangeiros.