Você está aqui Angola Sociedade  

Simpósio Zunga : Participantes culpam governo pelo elevado número de angolanos desempregados

Sexta, 26 Maio 2017  vanda de carvalho

As zungueiras formam um fenómeno que se tornou realidade em Angola, sobretudo na sua capital, com a emigração populacional que se assistiu para as grandes capitais de províncias, devido a situação de guerra em que se encontrava o país.

A Zunga é uma actividade exercida geralmente por mulheres que procuram assegurar a sobrevivência familiar com a venda de mercadorias diversas nas principais artérias das cidades a partir das primeiras horas do dia.

Há já largos anos que as autoridades procuram uma forma de acabar com este fenómeno, com a promessa de construção de espaços (mercados próprios) que as absorvam. Mas até agora nada acontece e elas continuam a procura do sustento das suas famílias pelas ruas da cidade.

"Fenómeno Zunga só vai terminar quando a pobreza extrema desaparecer no país". Defenderam participantes do primeiro Simpósio Nacional sobre a mulher zungueira que aconteceu no memorial Agostinho Neto em Luanda.

Nesta quinta-feira alguns participantes referiram que o elevado número de angolanos desempregados, está na origem do aumento de vendedores ambulantes.

O primeiro simpósio nacional sobre a mulher zungueira, contou com painéis de discussão que foi animado por agentes sociais, políticos, económicos e culturais de diferentes áreas do conhecimento, com destaque para a “Zungueira no contexto social de Angola”, “Zungueiras-historial e situação social”, “A zungueira e o espaço urbano”, a “Zunga no contexto social africano e internacional – legalização trabalhista” e “Zunga familiar (envolvendo pai, mãe e filhos) – estado e consequências”.

O segundo painel esteve reservado a reflexões e discussões em torno de temas como “Zungueira, sua contribuição para a economia nacional”, “Enquadramento do fenómeno Zunga nas políticas do Estado”, “Zunga, sim ou não: formalização da actividade”, “Contribuição da zungueira para a economia”.

Já o terceiro e último bloco, esteve virado aos direitos e deveres das zungueira, e abordou os temas “Zungueiras: direitos e deveres (acesso a oportunidades)”, «Saúde materno-infantil no fenómeno zunga”, “Cobertura justa dos mídias aos casos de violência às zungueiras”, “Zungueira e segurança social”, além das considerações finais e o lançamento do relatório “Barreiras de acesso ao mercado”, elaborado pela Plataforma Mulheres em Acção.

Escute: Repórter Sita Sebastião – Iº Simpósio Nacional sobre a mulher Zungueira