Você está aqui Angola Sociedade  

Serviço de veterinária descarta existência de ovos contaminados

Quarta, 13 Setembro 2017  vanda de carvalho

Angola segundo a Comissão Europeia, integra a lista de países terceiros afectados pela crise dos ovos ou subprodutos contaminados com insecticida.

De acordo com a mais recente lista, a que a Lusa teve hoje acesso, Angola e Cabo Verde estão entre os 11 países que receberam ovos ou subprodutos contaminados no seu território.

A lista de países afectados pelo comércio ou distribuição de ovos contaminados com fipronil inclui 25 Estados-membros da União Europeia, dois dos três países da Área Económica Europeia (Noruega e Liechtenstein) e 19 países terceiros.

A fraude que conduziu à contaminação de ovos pelo insecticida fipronil remonta a Setembro de 2016, disse recentemente a Comissão Europeia, precisando na altura que 34 países, a maioria na Europa, foram atingidos pela situação.

A contaminação de dezenas de milhões de ovos, resultante da desinfestação de explorações de galinhas poedeiras por um produto contendo fipronil, um antiparasitário forte estritamente proibido na cadeia alimentar, foi divulgada em Agosto.

O chefe do Departamento da Sanidade Animal dos Serviços de Veterinária, Norberto Pinto, descarta a possibilidade de existirem ovos contaminados em território angolano.

De acordo com aquele responsável citado pelo jornal de Angola, o país não permite a importação de ovos para consumo humano desde há três ou quatro anos, contrariando Informações ontem publicadas em Bruxelas pela Comissão Europeia que coloca Angola entre os países que terão importado ovos ou subprodutos contaminados com o insecticida fipronil.

Escute: Repórter Edna Cabral- ovos contaminados