Você está aqui Angola Economia  

Há exploração infantil nas zonas diamantífero, a denúncia vêm da JRS

Quinta, 25 Outubro 2018  vanda de carvalho

O coordenador do JRS - Serviços dos Jesuítas aos Refugiados, Celestino Epalanga veio à Ecclesia para falar dos contornos da Operação Transparência que já fez com que mais de oitocentos mil estrangeiros ilegais africanos regressassem aos seus países de origem.

O Padre Celestino Epalanga denuncia que para além de os trabalhadores da zona de garimpo de diamantes serem violentados pelos seus patrões, trabalham em condições desumanas e mais, há exploração infantil, nas zonas diamantíferas da Lunda Norte.

O também Secretário da Comissão de Justiça e Paz da CEAST, referiu que os diamantes explorados ilegalmente na Lunda Norte não beneficiam apenas as autoridades angolanas e congolesas.

 O responsável disse mesmo que o governador do Kasi, na República Democrática do Congo é um dos maiores compradores dos diamantes das lundas.

O Padre Celestino Epalanga confirmou que foram encontradas imensas quantidades e até sacos de cartões eleitorais com os cidadãos congoleses democráticos e Brazzaville, centro africanos e outros.

Escute: Padre Celestino Epalanga coordenador do JRS- fala dos contornos da Operação Transparência