Você está aqui Angola Economia  

Angola recebeu Primeira Missão do FMI para avaliação

Terça, 26 Março 2019  vanda de carvalho

Uma missão do corpo técnico do Fundo Monetário Internacional (FMI) está a trabalhar em Angola, de 20 de Março a 2 de Abril, com o objectivo de avaliar o cumprimento das metas estabelecidas ao abrigo do acordo entre o Executivo Angolano e esta instituição financeira internacional através do Programa de Financiamento Ampliado (Extended Fund Facility – EFF).

Durante a visita, a Delegação do FMI prevê manter encontros de trabalho com vários membros do Executivo, de que se destaca o Ministro de Estado do Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior; o Ministro das Finanças, Archer Mangueira; o Ministro da Economia e Planeamento, Pedro da Fonseca; o Ministro do Comércio, Jofre Van-Dúnem; o Governador do Banco Nacional de Angola (BNA), José Massano; entre outras individualidades.

Durante catorze dias, a referida missão vai avaliar o balanço das reformas económicas em curso no país, bem como monitorizar o processo de implementação do EFF, que é um instrumento com financiamento que visa apoiar o  Programa de Estabilização Macroeconómica (PEM), cujos principais objectivos são: reduzir as vulnerabilidades fiscais, fortalecer a sustentabilidade da dívida, reduzir a inflação, implementar um regime cambial flexível bem como assegurar a estabilidade do sector financeiro e fortalecer o quadro de combate ao branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo (CBC/FT).

Deste acordo resultou a aprovação, pelo Conselho Executivo do FMI, no dia 7 de Dezembro de 2018, do Programa de Financiamento Ampliado com duração de 3 anos, no montante de cerca USD 3,7 mil milhões (361% da quota de Angola) para apoiar o Programa de Reformas Económicas em Angola.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) é uma organização internacional criada em 1944 com o objectivo inicial de ajudar a reconstrução do sistema monetário internacional no período pós-Segunda Guerra Mundial, o que envolve domínios como a vigilância das economias dos seus membros e a demanda por políticas de autocorrecção. Angola é membro do FMI desde Setembro de 1989.