Você está aqui Angola Saúde  

DT continuam a ser maior causa de morte

Terça, 06 Dezembro 2011  
hospitalAs doenças transmissíveis continuam a ser a maior causa de morbilidade e mortalidade em Angola, apesar do actual conhecimento geral sobre como identificar e controlá-las, segundo dados constantes num relatório das 4ªs Jornadas Médicas de Pediatria, a que a Angop teve hoje acesso.

Segundo Angop. O documento, a maioria das doenças são evitáveis, mas múltiplos factores, incluindo as condicionantes ambientais, sociais e económicas, impedem a prevenção eficaz e o controlo destas doenças.


Fátima Valente, técnica da Direcção Nacional de Saúde Pública, disse que vigilância é a recolha, compilação e análise dos dados de uma forma sistemática e contínua, assim como a divulgação da informação a todos aqueles que lhe devem ter acesso, para que possam tomar as medidas necessárias.


Referiu que um sistema funcional de vigilância das doenças se torna útil para a definição de prioridades, planeamento, mobilização de recursos, previsão e detecção precoce de epidemias e monitorização e avaliação de programas de prevenção e combate às doenças.


A estratégia da vigilância integrada das doenças recomenda a coordenação e integração das actividades de vigilância relativamente as doenças de importância nacional e de saúde pública.


A atenção mantém-se na recolha, compilação de dados ao nível distrital.


Segundo o documento, a vigilância epidemiológica está estruturada em todos os níveis do sistema nacional de saúde, com base em alguns critérios, onde o país definiu, em 2003, a lista prioritária de doenças, que inclui 27 patologias e eventos de saúde para a vigilância integrada.


Assim, concluiu que a situação epidemiológica do país tem sido avaliada através da notificação imediata, semanal ou mensal de doenças transmissíveis, provenientes do nível provincial bem como dos institutos, hospitais nacionais.