Você está aqui Religiosa Santa Sé  

Grupo dos nove cardiais para a reforma da cúria romana declara “apoio total” ao Papa

Quarta, 15 Fevereiro 2017  vanda de carvalho

O Conselho dos Cardeais declarou esta Segunda-feira o seu “apoio total” ao Papa Francisco, uma tomada de posição que vem na sequência de notícias recentes que apontam para a existência de divergências no seio da Santa Sé.

Numa declaração lida antes do início da reunião com o Papa argentino, e publicada pela sala de imprensa do Vaticano, os membros do Conselho de Cardeais expressam o seu “pleno apoio à obra de Francisco e garantem adesão e apoio total à sua pessoa e ao seu magistério”.

Nos últimos dias, sobretudo desde o afastamento do Grão-Mestre da Ordem de Malta, Matthew Festing, a comunicação social em Itália tem dado conta de um certo afastamento de alguns membros da Cúria Romana relativamente a Francisco.

Entre os que não concordam com o actual rumo da Igreja Católica estará alegadamente uma ala mais conservadora, liderada pelo cardeal norte-americano Raymond Burke.

No princípio deste mês, em várias ruas de Roma foram colocados cartazes com críticas ao Papa Francisco, com referências à “decapitação” da Ordem de Malta.

Um episódio que o jesuíta António Spadaro, director da revista ‘Civiltà Cattolica’ e colaborador próximo do Papa, comentou na altura como tendo por trás “pessoas corruptas” e “poderes fortes” incomodados com a acção de Francisco.

Alguns dias depois, surgem então novos desenvolvimentos, com o Conselho de Cardeais a colocar-se ao lado do Papa argentino, procurando afastar as alegações de rutura no Vaticano.

O Conselho dos Cardeais é coordenado por D. Óscar Andrés Rodriguez Maradiaga (Honduras) e composto por D. Pietro Parolin (secretário de Estado do Vaticano), e D. Giuseppe Bertello (Governatorato vaticano).

Integram ainda este organismo D. Francisco Javier Ossa (Chile), D. Osvald Gracias (Índia), D. Reinhard Marx (Alemanha), D. Laurent Pasinya (República Democrática do Congo), D. Sean O'Malley (EUA), D. George Pell (Austrália, prefeito da Secretaria para a Economia da Santa Sé); o secretário é o bispo de Albano (Itália), D. Marcello Semeraro.

 Os trabalhos dos conselheiros mais próximos do Papa vão prosseguir até esta quarta-feira, dia 15 de Fevereiro.

Esta é a 18.º reunião de um órgão que foi constituído a 28 de Setembro de 2013 para apoiar Francisco na reforma da Cúria Romana, e que já interveio em áreas como a organização económica da Santa Sé e na criação de novas estruturas como as congregações para as áreas dos ‘Leigos, Família e Vida’ e ‘Justiça, Paz e Migrações’.