Você está aqui Religiosa Santa Sé  

“Seguir Jesus, Bom Pastor, atenção às falsas sabedorias do mundo” Papa

Segunda, 08 Maio 2017  vanda de carvalho

Antes da oração mariana do Regina Coeli, e dirigindo aos milhares de fiéis e peregrinos vindos da Itália e do mundo, Francisco comentou o Evangelho deste domingo, dito do bom pastor, em que Jesus se apresenta com as imagens de pastor e porta do redil, que se complementam, disse o Papa. Ao rebanho se aproximam diversas pessoas: há quem entra no recinto passando pela porta e quem "sobe por outra parte" – explicou o Papa - o primeiro é o pastor, o segundo um estranho que não ama as ovelhas.

Jesus identifica-se com o primeiro e manifesta uma relação de familiaridade com as ovelhas, expressa através da voz com a qual as chama, e que elas reconhecem e seguem. Ele as chama para levá-las para fora, às pastagens verdes onde encontram boa comida.

A segunda imagem com a qual Jesus se apresenta é a da "porta das ovelhas", pois ele diz: "Eu sou a porta: se alguém entrar por mim, será salvo", isto é, terá a vida e a terá em abundância. Cristo, Bom Pastor, tornou-se a porta da salvação da humanidade, pois ele ofereceu a vida pelas suas ovelhas – ressaltou o Papa acrescentando:

“Jesus, bom pastor e porta das ovelhas, é um chefe cuja autoridade se exprime no serviço, um chefe que para mandar dá a vida e não pede aos outros para sacrificá-la. Um chefe assim pode-se confiar, como as ovelhas que ouvem a voz do seu pastor, porque sabem que com ele vai-se a pastagens boas e abundantes”.

Assim é Cristo para nós, continuou Francisco, convidando a cada qual a não racionalizar demasiado a fé mas antes a cuidar da sua dimensão espiritual e afectiva para se ligados por um vínculo especial ao Senhor como as ovelhas ao seu pastor, como aconteceu com os dois discípulos de Emaús. É a maravilhosa experiência de sentir-se amado por Jesus, pois para Ele nunca somos estranhos, mas amigos e irmãos. Mas também advertiu o Papa:

“No entanto, nem sempre é fácil distinguir a voz do bom pastor. Estejam atentos: há sempre o perigo do ladrão, do salteador e o falso pastor. Há sempre o risco de se distrair com o ruído de muitas outras vozes. Hoje somos convidados a não nos deixarmos enganar pelas falsas sabedorias deste mundo, mas a seguir Jesus, o Ressuscitado, como o único guia seguro que dá sentido à nossa vida”.

Neste Dia Mundial de oração pelas vocações sacerdotais, concluiu Francisco, invoquemos a Virgem Maria para que acompanhe os dez novos sacerdotes e venha em auxílio daqueles que Ele, o Senhor, chama para que estejam prontos e generoso em seguir a sua voz.

Depois do Regina Coeli Francisco falou das beatificações, ontem, em Gerona, Espanha, de Antonio Arribas Hortigüela e seis companheiros, religiosos da Congregação dos Missionários do Sagrado Coração. Estes fiéis e heróicos discípulos de Jesus, disse o Papa, foram mortos por ódio à fé em tempos de perseguição religiosa. Que o seu martírio, aceite por amor de Deus e pela fidelidade à sua vocação, desperte na Igreja o desejo de testemunhar com coragem o Evangelho da caridade.

E o Papa saudou cordialmente os milhares de fiéis e peregrinos, vindos da Itália e do resto do mundo e, em particular, saúdo a associação "Meter", que há mais de duas décadas se opõe a todas as formas de abuso infantil. Muito obrigado pelo vosso empenho na Igreja e na sociedade; continuai sempre em frente com coragem! – frisou o Papa.

A concluir Francisco recordou a festa de Nossa Senhora do Rosário de Pompeia que amanhã se celebra. Neste mês de maio, acrescentou o Santo Padre, rezemos o Rosário especialmente pela paz, como pediu a Virgem em Fátima, onde irei em peregrinação dentro de poucos dias, por ocasião do centenário da primeira aparição.

E a  todos o Papa desejou um bom domingo pedindo, por favor, para que não nos esqueçamos de rezar por ele.