Você está aqui Religiosa Dominical  

Restos mortais do frei Maiato já repousam no cemitério dos capuchinhos em Camabatela

Sexta, 12 Maio 2017  vanda de carvalho

Os restos mortais do frei Maiato foram esta Quinta-feira a enterrar no cemitério dos Capuchinhos em Camabatela.

O frade capuchinho faleceu há uma semana em Portugal onde se encontrava para participar da tradicional peregrinação ao santuário de Nossa Senhora de Fátima.

A igreja paroquial de São Francisco de Assis, acolheu a missa de corpo presente pela alma do Frei capuchinho Benjamim Maiato.

Dom Almeida Kanda, bispo local presidiu a celebração, concelebrada pelo bispo do Uíge Dom Emílio Sumbelelo, Dom Vicente Carlos Kiazico, bispo de Mbanza Congo, do seu emérito Dom Chingo ya Hombo, o ministro custodio dos frades capuchinhos em Angola Frei Afonso Nteka e vários sacerdotes e religiosos vindo de várias dioceses de Angola.

Dom Almeida Kanda na sua homilia disse que o Frei Maiato foi um homem simples, forte e com uma vida carregada de méritos e virtudes, dimensões que lhe conferiram uma vivência bem-aventurada.

“Frei Benjamim Maiato foi um grande confessor e director espiritual muito dedicado, era conhecido pela sua santidade, ardor pela pregação do evangelho e pelo gosto em acolher as pessoas que o procuravam na direcção espiritual para dissipar as suas dúvidas e alimentar a sua vida espiritual”, e adiantou ainda esperar que o exemplo do Frei Benjamim Maiato estimule os novos sacerdotes para trabalharem com mais ardor.

 “Encontramos nesse texto de evangelho de bem-aventuranças a síntese da vida do nosso irmão e a identidade espelhada no rosto do seu testemunho sacerdotal. Os 52 anos de vida sacerdotal foram uma longa vida dada a igreja de Angola e sobretudo a nossa província do Cuanza Norte sempre na vanguarda da missão como protagonista do novo ardor missionário”.

O prelado na sua oração homiletica disse ainda que a morte não deve levar os cristãos ao desânimo, mas deve servir para fortalecer a fé para que todos possam ressuscitar com Jesus Cristo, pois, é o preço da glorificação e o reino das boas aventuranças.

Frei Maiato, foi o primeiro angolano a ingressar na Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, que lhe atribuiu o nome Benjamim, que significa “o filho da felicidade”, em hebraico.

Presentes ainda na cerimonia o governador do Kuanza Norte, José Maria Ferraz dos Santos, o Juiz presidente do Tribunal de Contas, Julião António, deputados a Assembleia Nacional pelo círculo provincial, a além de amigos, familiares e fieis de diversas paróquias do país.