Você está aqui Religiosa Dominical  

Dom Sumbelelo novo pastor de Viana já orienta a vida Ecclesial da Diocese

Terça, 30 Abril 2019  vanda de carvalho

Dom Emílio Sumbelelo já orienta os destinos da Diocese de Viana, a tomada de posse aconteceu na manhã deste Domingo 28, na Catedral, posteriormente foi celebrada a santa missa de apresentação no pavilhão Multiusos do Kilimba.

Presentes na celebração, os bispos da Conferencia Episcopal de Angola e São Tomé, sacerdotes, religiosos e religiosas, entidades religiosas, politica e da sociedade civil, fieis leigos da Arquidiocese de Luanda, das Dioceses do Uíge, Caxito, Ndalatando e de Viana.

No princípio da celebração foi lida as cartas apostólicas de tomada de posse pelo núncio apostólico em Angola Dom Peter Rajic.

Durante a homilia o novo bispo de Viana Dom Sumbelelo disse poder contar com a ajuda dos seus colaboradores para desempenhar com zelo e dedicação a missão que lhe foi confiada.

“ Com esta confiança entrego a minha fraqueza nas mãos de Deus, na certeza de que ele transformará em força, tocando-me com a sua mão poderosa, ajudar-me-á segui-lo no caminho da cruz para tomar parte com ele na glória da ressurreição”.

Dom Emílio, falou ainda da grande responsabilidade que agora tem em assumir a Diocese de Viana” anima-me a certeza de que não estou sozinho no exercício do ministério, sei que posso contar com números colaboradores que actuam como uma só família diocesana, aos quais muito estimo e dos quais muito espero”.

O prelado na sua homilia não deixou de falar dos sacerdotes seus grandes colabores, Diocesanos e religiosos, deles carecemos o desempenho do sacerdócio apostólico” meus queridos sacerdotes como vosso pai, irmão e amigo, quero ser presença certa nas horas incertas. Espero que tenhais um amor afectivo e activo pela nossa jovem Diocese, que ninguém se sinta hospede ou parasita, mas membro activo e dinâmico desta grande família de Deus que é a igreja de Viana”.  

Dom Sumbelelo quer contar também com a ajuda das famílias e leigos comprometidos com a acção evangelizadora de Jesus” lugar especial terão destaque na minha acção de pai e pastor as famílias e os numerosos leigos e leigas de diferentes idades e condições comprometidos com o anúncio da mensagem cristã e afiliados em diversos movimentos e associações diocesanas”.

O prelado pediu aos leigos que se esforçam e trabalhem para promoção de uma justa ordem social, se batem para a dignificação da actividade política, pugnam para defesa dos princípios étnicos e morais, fundamentai e renunciáveis sempre na colaboração directa com os pastores na pastoral e noutros sectores da vida da igreja e da sociedade angolana.

“ Aqui estou meus irmãos e minhas irmãs venho para o meio de vós, consciente do muito que esperais do vosso bispo”.

O prelado não se esqueceu das autoridades governamentais” Asseguro a minha disposição de estar sempre pronto a dialogar e a colaborar com tudo aquilo que favoreça o bem comum e a dignidade da pessoa humana”.

Dom Emílio fez um pedido especial as autoridades governamentais que não neguem a igreja católica na sua acção e actuação e a liberdade religiosa, garantida pela constituição de Angola e a partir dela o direito da igreja católica de participar na sociedade para que esta seja mais justa e humana.