Você está aqui Mundo PALOP  

UA alerta para um perigo de golpe de Estado no Zimbabwe

Quinta, 16 Novembro 2017  vanda de carvalho

Os relatórios da imprensa local sugeriram uma tentativa de golpe no Zimbábue, na sequência do anúncio pelo partido no poder de que o país estava vivendo numa "transição sem sangue" do poder entre o líder de longa data, Robert Mugabe, que tinha sido relatado como fortemente protegido pelos militares e se preparando para anunciar demissão.

A União Africana afirmou que a crise no Zimbábue "parece um golpe" e pediu o respeito da Constituição do país.

De acordo com o líder da União Africana, Alpha Conde, que também é presidente da Guiné, a organização classificou as acções dos militares no Zimbábue como "claramente soldados tentando assumir o poder pela força".

A declaração vem na sequência de um anúncio do partido no poder no Zimbábue de que o país estaria vivendo uma "transição sem sangue" de poder. Robert Mugabe, de 93 anos, teria sido capturado pelos militares e se prepara para anunciar a sua renúncia.

De acordo com a imprensa local, Mugabe, que foi presidente do país desde 1987, conseguiu chegar a um acordo com os representantes do exército para que sua esposa deixe o país.

O presidente da vizinha África do Sul, Jacob Zuma, afirmou ter sido contactado por Mugabe, que afirmou estar "confinado à sua casa, mas que passava bem".

Nesta terça-feira, a imprensa relatou que veículos blindados estavam se movendo em direcção à capital do Zimbábue, enquanto os militares supostamente tomaram controlo da transmissão da televisão estatal ZBC.

A crise acontece na sequência das tensões após a demissão do provável sucessor de Mugabe, que tinha forte apoio dos militares. O comandante do Exército tinha apelado ao Mugabe na segunda-feira para que parar a "limpeza" no partido no poder.