Você está aqui Mundo PALOP  

Chissano confiante na justiça em relação as dividas ocultas

Segunda, 04 Março 2019  vanda de carvalho

O antigo Presidente moçambicano, Joaquim Chissano, reagiu, este domingo, à detenção de nove moçambicanos no âmbito do caso das dívidas ocultas e considerou que as autoridades policiais e a justiça estão a fazer o seu trabalho.

O antigo chefe de Estado moçambicano reagiu, este domingo, às detenções de nove pessoas em Moçambique, alegadamente ligadas às dívidas ocultas, num processo conduzido pela Procuradoria-Geral da República.

Posso dizer que, pura e simplesmente, as autoridades policiais estão a fazer o seu trabalho. Como ouvimos hoje, aqui, na nossa igreja, não julgueis para não seres julgados. Deixemos àqueles que têm o mérito para julgar”, declarou Joaquim Chissano.

As declarações do antigo Presidente foram feitas à saída de uma missa de apresentação do novo bispo auxiliar da arquidiocese de Maputo, António Juliasse, na Sé Catedral de Maputo.

A cerimónia de apresentação de António Juliasse contou com a presença de vários líderes religiosos e autoridades políticas de Moçambique. António Juliasse, de 50 anos, foi nomeado bispo auxiliar de Maputo pelo papa Francisco, a 7 de Dezembro, e vai ser o número dois da maior arquidiocese da Igreja Católica em Moçambique, coadjuvando o arcebispo Francisco Chimoio.

O papa Francisco deverá realizar uma visita a Moçambique ainda este ano, numa altura em que os ataques armados em Cabo Delgado continuam a semear o luto, o medo e o terror entre a população e a provocar deslocados.

Fonte: RFI